Justiça do Rio proíbe apreensão sem flagrante de crianças e adolescentes

Reprodução

A Justiça do Rio de Janeiro emitiu uma decisão proibindo estado e prefeitura de apreender sem motivo crianças e adolescentes, além da condução deles à delegacia apenas para verificação. De acordo com a decisão, a apreensão só pode ser feita em situações de flagrante de ato infracional ou por ordem judicial. O governador Cláudio Castro (PL) e o prefeito Eduardo Paes (PSD) disseram que irão recorrer da decisão.

Também fica proibido levar crianças e adolescentes para abrigos sem decisão judicial ou necessidade de medida protetiva.

A ação civil pública foi promovida pelo Ministério Público do Rio de Janeiro após denúncia da ação de agentes da Operação Verão conduzindo adolescentes sem motivo para a delegacia.

O governador Cláudio Castro afirmou que a decisão judicial está errada. “Acato e respeito a decisão da Justiça que proibiu as polícias de trabalharem de forma preventiva na Operação Verão – orla das praias”, afirmou Castro. “Vamos recorrer porque a decisão está errada! O princípio fundamental da segurança pública é a prevenção, que foi sequestrada nesta decisão.”

O prefeito Eduardo Paes afirmou: “Esse é um trabalho preventivo que a Secretaria de Ordem Pública do município e a secretaria de Assistência Social, sob o comando dessa última, auxiliam as forças policiais na prevenção a crimes que ameaçam a sociedade. Trabalho em conjunto e responsável. Fica difícil cumprir com nossas obrigações sem que se possa agir. Resultado são as cenas que assustam a sociedade e cerceiam nosso direito de ir e vir. Vamos recorrer!”

SBT News

 

Fonte: Blog do BG