(84) 9 9986-1150

Fiéis denunciam “pastor do golpe” por vender pacotes de viagens falsos

Um grupo formado por 50 pessoas acusa um pastor evangélico de usar da boa fé alheia para enganar os fiéis, com a venda de pacotes de viagens falsos. Os estelionatos, segundo as vítimas, se espalharam pelo Distrito Federal e atingiram religiosos de outros estados, como São Paulo e Minas Gerais. Uma série de ocorrências foram registradas na Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), afirmando que Douglas Michael de Sant’ana Nazário, 27 anos, faturou alto usando uma empresa que captava clientes, mas jamais entregava os bilhetes de embarque.

Boa parte dos compradores frequentavam as igrejas onde o pastor pregava. Outros eram parentes de féis que costumavam acompanhar os cultos ministrados por Douglas Michael. Garantindo ser idôneo e um “homem de Deus”, o líder religioso costumava levar os contratos até a casa dos devotos e sacramentava a venda dos pacotes. O pastor seduzia os pretensos clientes com valores atrativos. Passagens a R$ 300 para destinos badalados no Nordeste e Sudeste eram os campeões de vendas.

Uma técnica de enfermagem, de 37 anos, comprou 14 pacotes para a família e amigos, todas para destinos como Rio de Janeiro e Alagoas. “O objetivo era viajar em fevereiro deste ano para comemorar aniversario da minha filha e, em julho, para comemorar meu aniversário. Gastei R$ 3,7 mil e nunca consegui embarcar”, disse.

O outro lado
O pastor Douglas Michael foi procurado pela reportagem para que se posicionasse sobre as denúncias, ocorrências policiais e processos cíveis abertos contra ele. Segundo o religioso, em 10 de junho deste ano, houve um imprevisto com alguns clientes. “A empresa que trabalha com milhas aéreas é terceirizada, mas o fornecedor não entregou, lesando não só os clientes, como também a empresa. Desde sempre, mantemos nossos clientes informados e verificando a possibilidade de remarcação ou devolução dos valores”, alegou o pastor.

O líder evangélico disse, ainda, que em 13 de junho, iniciou os estornos dos valores pagos. “Um cliente insatisfeito criou um perfil no Instagram usando informações falsas e gerando medo e terror aos clientes, dizendo que o proprietário seria golpista. Dessa forma, com difamação, calúnia, afastaram futuros clientes, trazendo um momento delicado financeiramente. A empresa deixa claro que jamais vai lesar nenhum cliente”, garantiu o pastor, por meio de nota.

Metrópoles

Postado em 3 de agosto de 2022 - 13:33h