(84) 9 9986-1150

Morre idosa que esperou 4h por atendimento em UPA e teve monitor derrubado na cabeça

Com Unidades de Pronto-Atendimento (UPA) lotadas em Natal, uma idosa de 81 anos passou quatro horas do lado de fora de um dos estabelecimentos, à espera de atendimento, na noite do último dia 18 de abril.

O caso aconteceu na Zona Norte de Natal. Dona Maria Eremita passou mal e foi levada à UPA do bairro Pajuçara pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). No entanto, a unidade estava lotada e a equipe foi orientada a levar a idosa para a UPA do bairro Potengi. No local, também não havia vaga.

Os profissionais do Samu e familiares então decidiram aguardar atendimento. Durante a espera, o oxigênio da ambulância acabou e foi preciso improvisar uma ligação com um ponto de oxigênio na parte externa do prédio.

“O pior era vê-la perguntando porque estava esperando tanto tempo do lado de fora e a gente não poder dizer que não estavam querendo atender ela”, disse uma neta da idosa. Segundo a família, a mulher só foi atendida após o auxílio de uma advogada que foi ao local.

Após a espera, a equipe de saúde da unidade constatou que dona Maria Eremita chegou a infartar.

A diretoria da UPA Potengi afirmou que a demora no atendimento aconteceu por causa da superlotação da unidade.

No dia seguinte, 19 de abril, um monitor de sinais vitais caiu e feriu a cabeça da idosa.

Por conta do acidente, Maria Eremita precisou ser transferida para o Hospital Walfredo Gurgel, onde passou por uma tomografia na cabeça.

A neta dela, Ana Carolina Dantas, disse que foi chamada na UPA Potengi, onde a avó estava internada, às 14h20, três horas após o acidente. Ela foi informada pelo médico de plantão e pela assistente social sobre o problema.

“Eu consegui entrar pra ver a lesão da minha vó. Ela continua intubada, em como induzido, e agora com esse dano estrutural, mais um agravante do quadro clínico dela”, afirmou ela na época da reportagem.

Segundo a neta, a equipe médica explicou que o acidente aconteceu por conta de uma reanimação de um paciente que estava ao lado de Maria Eremita.

“Falaram também que esse acidente aconteceu por causa de uma reanimação cardíaca no paciente ao lado, sendo que eu entrei na sala vermelha e o equipamento que caiu na cabeça da minha vó fica na parte superior da parte dela. Então é quase que improvável que isso tenha acontecido por causa de uma reanimação no paciente ao lado”, falou.

Em nota, a Secretaria de Saúde de Natal (SMS) disse que a paciente foi regulada e removida na tarde desta terça-feira( 19) para o Hospital Walfredo Gurgel e que “em nenhum momento faltou oxigênio”.

“Sobre corte na cabeça da paciente a SMS Natal lamenta o ocorrido e vai se reunir com a direção e equipe médica para saber o que de fato aconteceu e adianta que foi prestado todo socorro necessário”, continuou.

Na tarde de hoje (26), Ana Carolina publicou em suas redes sociais o falecimento de dona Eremita: “Infelizmete nessa manhã minha vó faleceu, após três paradas cardíacas seguida”.

Ela informou ainda que o velório iniciará às 18h no centro de velório Sempre da Zona Norte de Natal e que o cortejo sairá amanhã (27) às 9h para o Cemitério Sempre, também na Zona Norte.

Por G1

Postado em 27 de abril de 2022 - 6:41h