Após passar aniversário internada em tratamento, criança de 2 anos realiza sonho de conhecer a praia

Brincar na areia da praia, sentir a brisa do mar e o sol tocar na pele são prazeres que o pequeno Anthonny Lukas Oliveira só descobriu aos 2 anos, mesmo tendo nascido em uma cidade litorânea.

Em tratamento contra uma síndrome nefrótica descoberta com 1 ano e 10 meses, a criança foi levada à praia pela primeira vez pela equipe do Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL-UFRN), em Natal.

Segundo os servidores envolvidos, a ação foi realizada para atender um desejo do garoto, que via a praia da janela do hospital.

Anthonny mora com a família no bairro Nossa Senhora da Apresentação, Zona Norte da cidade, e é portador de síndrome nefrótica, condição que provoca perda de proteína pela urina, podendo levar a insuficiência renal.

A doença também torna os pacientes mais suscetíveis a infecções, tanto pela doença em si, como pelo tratamento, que leva à queda na imunidade.

Ele vem sendo acompanhado no hospital universitário desde maio deste ano e precisou ser internado em 21 de julho, para tratamento de quadro infeccioso e descompensação da síndrome nefrótica.

Anthonny completou seu aniversário de dois anos no hospital, dois dias após o início da internação, e passou quatro meses ininterruptos na unidade – a maior parte do tempo, na UTI Pediátrica.

Segundo a unidade de saúde, no caso da criança, a doença não está respondendo adequadamente ao tratamento padrão, o que tem levado à rápida evolução para doença renal crônica com necessidade de hemodiálise.

“Nossa equipe é muito humanizada sempre levava ele para ver o mar, da janela, já que o hospital fica de frente para a Praia do Meio. Na UTI, as crianças ficam muito enclausuradas, e ficam muito irritadas. Como ele tinha a possibilidade de sair, a gente levada para a janela. Mas ele sempre pedia para ir à praia e um dia, surgiu a ideia de realmente levar”, conta Gabriela Martins, enfermeira neonatal chefe da Unidade da Criança e do Adolescente do HUOL e que é membro da comissão de cuidados paliativos pediátricos da unidade.

No dia 9 de novembro, a criança foi levada à praia na companhia da mãe e de pelo menos sete profissionais. Ele não pôde tomar banho de mar, porque estava com um cateter no corpo, mas brincou na areia.

Após a ida à praia, Anthonny recebeu alta hospitalar no dia 18 de novembro, mas precisou retornar à internação entre os dias 23 a 28 para ajustar as taxas no sangue. Agora em casa, ele continua os cuidados e realiza hemodiálise três vezes por semana na Clínica de Diálise.

Segundo o hospital, ele segue acompanhado pelos ambulatórios de nefrologia e de cuidados paliativos, com assistência integral de saúde.

Fonte: g1 RN