Uso de quadriciclos em praia de Pipa onde turista morreu tem regras estabelecidas por lei; veja quais são

O uso de quadriciclos em Pipa, Sibaúma e nas demais praias de Tibau do Sul, no litoral Sul potiguar, tem normas estabelecidas por uma lei municipal de 2021. Por isso, a prefeitura do município informou que vai instaurar um processo administrativo para apurar o acidente que causou a morte de uma turista que caiu com um veículo de cima de uma falésia, na tarde de quarta-feira (18), durante o uso de um veículo do tipo.

Ana Carla Silva de Oliveira, de 31 anos, era servidora da Assembleia Legislativa de Roraima e estava no Rio Grande do Norte com familiares, a passeio. A cunhada dela também estava no quadriciclo que caiu, mas foi socorrida com vida e está internada no Hospital Walfredo Gurgel, em Natal.

No local do acidente, na manhã desta quinta-feira (18), não havia qualquer placa sinalizando para o perigo de queda. A prefeitura do município não respondeu aos questionamentos sobre o assunto até a última atualização desta matéria.

A lei municipal ainda prevê pagamento de multa de R$ 500 a R$ 3 mil, em caso de descumprimento das regras. Os passeios na região custam, em média, R$ 200.

“Na hora do treinamento, o instrutor tem que identificar se o cliente tem condições ou não. Muitas vezes ele fala que já pilotou um quadriciclo, mas passou por um pequeno teste numa praia mais tranquila, onde não tem muito buraco e terreno íngreme. Mas ele tem que fazer o teste, porque tem partes do trajeto que tem terrenos íngremes”, afirmou o instrutor Alexandre Leonardo Costa, que posseui uma empresa que presta esse tipo de serviço.

“Principalmente quem é acostumado a usar moto, costuma se imaginar em cima de uma moto e acaba, nessa situação, não fazendo o movimento do braço, de segurar firme, acaba jogando o corpo. Muitas vezes, o quadriciclo pode descer, o dedo do freio vai estar no acelerador e ele acaba acelerando”, ressaltou.

O instrutor ainda afirmou que falta fiscalização na região, até mesmo em um posto montado pelo município. “Só fazem perguntar se é no Pix ou cartão, o pagamento da taxa ambiental”, disse. O município foi procurado, mas não se posicionou sobre a declaração.

LEIA TAMBÉM

A Prefeitura de Tibau do Sul lamenta o acidente ocorrido nesta quarta, dia 17, que envolveu duas turistas de Roraima. O acidente envolvendo um veículo do tipo quadriciclo, aconteceu no trecho próximo à Praia de Sibaúma, no litoral do município.

Duas equipes da Unidade Mista de Saúde foram deslocadas para atendimento imediato das vítimas, ocasião em que foi constatado o falecimento de uma das vítimas e prestada assistência à segunda vítima, até a chegada do helicóptero da Polícia do Estado, que a encaminhou para o Hospital Walfredo Gurgel, em Natal.

A atividade de quadriciclo possui legislação regulamentadora, de acordo com Lei Municipal 727 de 12 de novembro de 2021.

Em face ao acidente, a Prefeitura irá instaurar um processo administrativo com vistas a apurar os fatos ocorridos e sendo o caso, apontar a responsabilidade.

Esse não é o primeiro acidente com vítima fatal que ocorre nas falésias de Pipa envolvendo quadriciclos. Em novembro de 2022, um turista carioca morreu após cair também de quadriciclo no trecho conhecido como Chapadão. Jouber Manhaes tinha 68 anos de idade.

Outros acidentes também foram registrados no trecho. Em julho do ano passado, duas irmãs caíram da falésia e uma delas, de 26 anos, precisou passar por uma cirurgia no antebraço.

Em novembro de 2021, um turista de Fortaleza, de 19 anos, também despencou de uma altura de 30 metros do Chapadão com um quadriciclo. Ele teve fraturas no fêmur e na coluna, passando por cirurgias após ser socorrido.

Em setembro de 2020, uma turista grávida e o namorado perderam o controle do quadriciclo e caíram do Chapadão. Os dois foram resgatados conscientes.

Fonte: g1 RN