Sempre ele: Wallyson sai do banco para salvar ABC e treinador exalta “postura fantástica”

Um dos maiores ídolos da história do ABC, Wallyson voltou a ser decisivo na classificação da equipe potiguar para a segunda fase da Copa do Brasil. No duelo contra o Treze, em Campina Grande, o “Mago” começou no banco de reservas por opção do técnico Rafael Lacerda e foi acionado para entrar no lugar de Parraguez no intervalo. Seis minutos depois, fez o gol do empate e do alívio naquele momento do jogo.

Na entrevista coletiva, Rafael Lacerda explicou porque deixou o atacante de 35 anos no banco, embora a estratégia não tenha dado certo.

– São decisões que eu preciso tomar. A gente sofreu muito no jogo contra o Vitória. Foi uma opção que a gente teve de ter mais velocidade, mas a gente não conseguiu. A responsabilidade do erro no primeiro tempo é minha. Eu acreditei que a gente ia ser muito atacado pelo Treze, como foi, mas que a gente teria os escapes pelos lados, com Daniel (Cruz) e Ruan (…) A equipe inteira estava mal – declarou.

O treinador enalteceu que “Wallyson é um ídolo do clube” e creditou “esse gol dele não só à história que ele tem, à qualidade que ele tem, mas à postura que ele teve durante a semana”.

– Eu confesso que (sobre) tirar o Wallyson… Não tenho problema. Eu tiro qualquer jogador. Enquanto eu for treinador do ABC, quem escala o time sou eu. Eu tive a decisão de tirar o Wallyson. A postura dele na semana foi fantástica. Falei no final do jogo. Treinou mais, dificultou muito pro time de cima. A gente estava em xeque se a gente botava ou não, porque Wallyson, numa função de meia na equipe de baixo, dificultou muito pro time titular. Não reclamou, não fez cara feia, treinou forte, foi recompensado. Por isso, ele é um ídolo do clube – completou.

Nas redes sociais, os torcedores exaltaram o “iluminado” Wallyson (veja abaixo) em noite de sufoco e classificação.

Leia mais notícias do esporte potiguar no ge RN | ge.globo/rn

Fonte: g1 RN