Puxado pelo setor de serviços, RN tem saldo positivo de 1.415 empregos em março de 2024

Puxado principalmente pelo setor de serviços, o Rio Grande do Norte teve saldo de 1.415 novos empregos formais registrados ao longo do mês de março, segundo os dados divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego.

O saldo é a diferença entre o número de contratações (20.842) e demissões de funcionários (19.427) no período.

Ainda de acordo com o governo federal, o estado conta com um estoque de 504,7 mil trabalhadores com carteira assinada, atualmente.

O resultado de março foi o melhor entre os meses do primeiro trimestre de 2024. Em janeiro, o estado tinha registrado saldo de 1.183 novas vagas de emprego. Em fevereiro, foram 241.

Os números também foram melhores que os de março de 2023, quando o estado registrou saldo negativo, com fechamento de 82 postos de trabalho.

O estado encerrou o primeiro trimestre de 2024 com 2.839 vagas abertas – situação muito melhor que o primeiro trimestre de 2023, que foi concluído com saldo de 40 vagas.

O setor de Serviços foi o principal responsável pela alta do número de empregos com carteira assinada em março, no Rio Grande do Norte. O setor gerou 9.036 contratações e 6.501 demissões, resultando em um saldo positivo de 2.535 vagas.

O setores de comércio também registrou alta de empregos, com saldo de 954 postos de trabalho, seguido pela construção, responsável por 628 novas vagas.

Na contramão do crescimento, o setor agropecuário fechou 1.667 empregos e a indústria, 1.035, ao longo de março.

Capital potiguar, Natal teve um saldo maior que o registrado pelo estado como um todo, em março. A cidade registrou 8.228 admissões contra 6.637 desligamentos ao longo do mês, gerando saldo positivo de 1.591 empregos.

O resultado também foi puxado pelos serviços. Em Natal, o único setor que demitiu mais do que contratou foi o de agropecuária, que fechou 70 vagas. Entre as maiores cidades do estado, Mossoró e Parnamirim também registraram saldos positivos.

Por outro lado, Baía Formosa, no litoral Sul potiguar, registrou o fechamento de mais de 1 mil vagas de emprego, praticamente todos no setor da indústria. Com isso, a cidade perdeu mais de 38,8% dos seus empregos formais, segundo os dados do governo federal.

Fonte: g1 RN