Potiguar de 71 anos e amigos pedalam por 20 dias do RN até o Santuário de Aparecida (SP): ‘Fiquei emocionado’

O ciclista potiguar Zito Dantas, de 71 anos, e outros três amigos concluíram uma pedalada que durou 20 dias do Rio Grande do Norte até o Santuário de Nossa Senhora Aparecida, no estado de São Paulo. O trajeto foi de mais de 2,8 mil quilômetros pelas estradas do Brasil.

Estiveram com Zito nesta empreitada os potiguares José Laércio Gomes (62) e Augusto Dantas (52), e o paraibano Sebastião Azevedo (63).

A missão começou no dia 2 de janeiro e foi concluída no domingo passado (21), exatamente como eles haviam planejado.

“Foi emocionante a chegada aqui em Nossa Senhora Aparecida. Tenho nem palavras para dizer. Eu fiquei muito emocionado, é muito linda a igreja e também o lugar. Foi a coisa mais emocionante do mundo. Eu agradeço de coração”, disse Zito, o mais experiente do grupo.

Zito, inclusive, passou por três lesões durante a viagem, mas seguiu firme até a chegada em Aparecida, no interior de São Paulo, cumprindo a meta diária de quilometragem prevista, que era de cerca de 180 quilômetros por dia.

“Não foi fácil, todo mundo achou que seria fácil. Mas só quem pedala e quem fez esse trajeto é que sabe como é”, contou Augusto Dantas.

Durante o percurso pelo Brasil, o grupo foi recepcionado por diversas pessoas – entre ciclistas e entusiastas do desafio – que ofereciam apoio, estadia e alimentação.

Ao todo, foram 185 horas de pedalada durante todo o trajeto. As pedaladas começavam por volta das 4h e terminavam às 17h ou, no máximo, 18h.

Para se prepararem para o desafio, os ciclistas fizeram, em 2023, repetidos pedais de cerca de 150 quilômetros a cada 15 dias ou de 100 quilômetros po dois dias seguidos.

O grupo é apaixonado pelas “cicloviagens” – termo criado para os apaixonados por longos percursos de bicicleta. Em comum, também carregam o amor pelo desafio e a fé católica, que motivou o destino final dessa viagem. Eles já haviam feito outros trajetos separadamente, mas nenhum tão longo quanto o deste início de ano.

Toda a preparação física foi feita com treinamentos constantes durante o ano de 2023. Mas a cabeça também precisou ser trabalhada para suportar as dores e dificuldades durante esses dias, além de um olhar atento para os perigos das rodovias.

“É esquecer que existe sol, chuva”, contou Laércio, que se tornou uma espécie de líder do grupo por ter mais experiência em trajetos longos. Ele já foi, por exemplo, do RN até o Pará de bicicleta.

Zito Dantas é outro com experiência em cicloviagens. Ele já foi sete vezes para Juazeiro do Norte de bicicleta.

A paixão pelo ciclismo dele, inclusive, já começou na terceira idade – há cerca de 10 anos – e foi inspirada pelo filho, Jonh Paul Dantas. “Meu pai sempre foi muito desportista. Ele me viu pedalar e se inspirou, comprou uma bicicleta e pegou gosto”, contou o filho. Zito Dantas já foi sete vezes para Juazeiro do Norte de bicicleta.

Fonte: g1 RN