Ponto turístico do RN, Árvore do Amor tem raízes cortadas em Maxaranguape

Ponto turístico do Rio Grande do Norte, a centenária Árvore do Amor teve parte de suas raízes cortadas em uma ação de depredação, descoberta na manhã de terça-feira (27) pela prefeitura de Maxaranguape, município do Litoral Norte potiguar, onde a planta nasceu.

Segundo a prefeitura do município, que classificou o ato como um crime ambiental, a suspeita é de que a ação tenha ocorrido na madrugada. O caso foi informado aos órgãos ambientais estaduais e denunciado à polícia.

Em nota, o Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do Rio Grande do Norte (Idema) informou que enviou uma equipe de fiscalização ao local para apurar o caso e “adotar as medidas administrativas cabíveis”.

A árvore da espécie gameleira teve várias ramificações da raiz cortadas, segundo o secretário de meio ambiente do município, Rafael Bail. Ele ainda afirmou que o município ainda não tem certeza sobre o que pode ter motivado os cortes.

Ainda segundo o secretário, apesar do dano, os cortes não deverão causar a morte da planta. Ele ainda informou que solicitou ao Idema o envio de técnicos florestais para auxiliar o município na recuperação da árvore.

A árvore do amor é formada, na verdade, por duas árvores da espécie gameleira, que se uniram por meio de seus caules e copa formando um arco. O local atrai turistas à praia de Barra de Maxaranguape e já foi cenário inclusive de casamentos.

Em nota, a prefeitura de Maxaranguape declarou “profunda tristeza, perplexidade e inconformismo” e repudiou o “repentino e brutal crime ambiental sofrido pela Árvore do Amor”, que classificou como “símbolo maior do município”.

“Enquanto a administração municipal, parceiros e membros da população lutam pela recuperação ambiental e principalmente o desenvolvimento sustentável deste ponto turístico, outras pessoas fazem o oposto, infelizmente. A Árvore do Amor é um local muito importante para nosso turismo e de todo o estado”, informou a prefeitura.

Além das denúncias registradas, a prefeitura pediu colaboração “de todos que possam ajudar na identificação dos infratores e aplicação das devidas penalidades de acordo com a Lei”.

Fonte: g1 RN