Polícia Federal indicia dois suspeitos de ajudar fugitivos da Penitenciária Federal de Mossoró; um deles deu abrigo aos foragidos

A Polícia Federal indiciou dois homens presos ao longo da operação de buscas por Deibson Cabral e Rogério Mendonça, que fugiram da Penitenciária Federal de Mossoró no dia 14 de fevereiro.

Os dois indiciados são pessoas que teriam tentado ajudar os fugitivos a escapar do cerco montado pelas autoridades. Eles devem responder por favorecimento pessoal e organização criminosa.

Entre eles, está o mecânico que deu abrigo aos fugitivos por cerca de uma semana em Baraúna, no Oeste potiguar.

Segundo o Ministério da Justiça, que confirmou o indiciamento, os procedimentos serão remetidos ao Ministério Público Federal, que poderá denunciar os dois homens à Justiça Federal.

Um dos indiciados é um mecânico de 38 anos dono de uma chácara na Zona Rural de Baraúna, município vizinho a Mossoró, onde ficava um esconderijo usado pelos fugitivos. Na ocasião da prisão, os investigadores apontaram que ele recebeu R$ 5 mil para esconder os dois fugitivos na propriedade.

O outro indiciado é um homem apontado como integrante do Comando Vermelho, que teria viajado ao Ceará e voltado ao Rio Grande do Norte em um carro para dar apoio aos fugitivos.

Deibson Cabral e Rogério Mendonça fugiram do presídio federal no dia 14 de fevereiro, na primeira fuga da história do Sistema Penitenciário Federal, criado em 2006. Nesta quinta-feira (21), a força tarefa entrou no 37º dia de caçada aos dois fugitivos.

Segundo o ministro Ricardo Lewandowski, em visita a Mossoró, no último dia 13 de março, pelo menos 500 agentes de segurança pública continuam procurando pelos foragidos entre Mossoró e Baraúna.

Nesta quarta-feira (20), o ministério prorrogou por 10 dias o uso da Força Nacional na operação realizada no interior do Rio Grande do Norte.

Fonte: g1 RN