Polícia Federal e Itep fazem perícia no Morro do Careca após incêndio na área

O Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep) começou a perícia na área do Morro do Careca atingida por um incêndio. A Polícia Federal informou que, por se tratar de uma área de Marinha, também vai periciar a área.

O incêndio começou por volta das 21h de terça (6) e foi controlado após 10 horas. Somente após as perícias será possível afirmar o que causou o incêndio e se foi criminoso ou não.

Na manhã desta quarta (7) o helicóptero Potiguar I, da Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesed), foi utilizado para buscar água no mar e jogar sobre os focos de incêndio. Segundo o Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), foram realizados 32 lançamentos de helibalde, um equipamento utilizado pela aeronave para transportar água. Ao todo, somente pelo helicóptero, foram lançados sobre o fogo mais de 10 mil litros de água.

Durante a noite e madrugada a Polícia Ambiental também atuou para tentar conter as chamas com o uso de uma bomba costal que carrega cerca de 20 litros de água. Além disso, foram utilizados abafadores, uma espécie de lona para tentar apagar o fogo.

O diretor geral do Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema) Werner Farkatt disse que técnicos do órgão vão avaliar os danos ambientais causados.

“Estamos acompanhando desde ontem com muita angústia para avaliar quais ações serão tomadas. Neste primeiro momento as ações acontecem de forma integrada pelas forças de segurança. Somente após a área ser liberada e haver segurança para a equipe do Idema poder entrar no local e averiguar os verdadeiros danos ao ecossistema da área é que nós vamos ter uma resposta mais precisa do foi afetado de fauna e de flora”, disse.

O Morro do Careca é o principal cartão postal de Natal, tem 120 metros que faz parte da Zona de Proteção Ambiental 6 (ZPA-6). Trata-se de um bem da União e área militar, e, por isso, tem seu acesso restrito e controlado pelo comando do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI).

Fonte: g1 RN