Petista acusado de assédio por 9 servidoras ganha cargo na Presidência

Foto: Reprodução

Acusado de assédio moral por servidoras do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), onde exerce as funções de diretor, o petista Ricardo Lovatto Blattes passará a atuar na Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República. Sua atribuição será voltada aos preparativos para o encontro do G20, que ocorrerá no Rio de Janeiro em novembro.

De acordo com portaria assinada pelo ministro interino da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Laércio Portela, Blattes vai ocupar um cargo transitório “destinado à constituição da área de trabalho relativa à Comunicação Social, considerando as necessidades logísticas de organização da presidência do G20 pela República Federativa do Brasil”.

Ex-vereador pelo PT em Santa Maria (RS), Blattes foi denunciado por nove servidoras do Cade no início de maio, como revelou a coluna Grande Angular. Elas alegaram que o então diretor era responsável por ameaças frequentes de demissão, além de insinuar, sem provas, que terceirizados são corruptos, tratar mulheres com desrespeito e fazer comentários machistas na presença das subordinadas. As situações configurariam, em tese, assédio moral e discriminação de gênero.

Antes de ser nomeado para o Cade, em outubro de 2023, Blattes exerceu a função de diretor do Departamento de Proteção de Defesa do Consumidor, no Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP). Lá também acumulou “problemas de relacionamento” com colegas. Duas servidoras chegaram a relatar abordagens inadequadas e reclamaram da postura do diretor.

O ex-vereador petista deverá ocupar o cargo na organização do G20 até novembro, quando o Brasil deixa o comando do colegiado. No mesmo mês, acontece a Cúpula de Líderes do G20, no Rio de Janeiro.

Fonte: Metrópoles

Fonte: Blog do BG