Pacientes esperam até 7 horas por atendimento em UPA na Zona Norte de Natal

Pacientes esperaram até 7 horas para serem atendidos nesta quarta-feira (27) na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Potengi, na Zona Norte de Natal.

Esse foi o caso, por exemplo, do frentista Maciel Barros, que chegou por volta das 8h na unidade e só passou pela triagem às 12h. Até 15h, ele não havia entrado ainda na sala de consulta.

O frentista explicou que procurou a UPA porque está com dor de cabeça, dor de garganta e que, caso não consiga atendimento, vai voltar para casa e comprar um medicamento por conta própria.

A direção da UPA explicou que a demora aconteceu por conta de urgências mais graves que surgiram desde a madrugada desta quarta.

Segundo a direção, ainda durante a manhã dois pacientes que estavam em estado grave tiveram prioridade no atendimento por conta de complicações, o que alterou também a dinâmica dos atendimentos. Os dois pacientes não resistiram e morreram.

Diante da situação de superlotação, uma paciente chegou até a deitar no chão da unidade enquanto não era chamada.

A direção da UPA explicou que a unidade recebeu cerca de 300 pacientes até 15h desta quarta e que atendeu cerca de 120 deles. Segundo a direção, a unidade conta com 4 clínicos gerais. A direção disse ainda que a sala de medicação está lotada de pacientes.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) foi procurada pela reportagem da Inter TV Cabugi, mas não se pronunciou até a atualização mais recente desta reportagem.

A costureira Leidjane Moura também viveu uma saga por uma atendimento na UPA Potengi nesta quarta. Ela chegou à unidade às 10h e até 14h não tinha havia sido atendida ainda.

A costureira disse que vai esperar até a hora de ser atendida. “É o jeito. Infelizmente é assim, a nossa saúde é assim”, lamentou.

Laura Silveira também demorou cerca de 5 horas apenas para passar pela triagem.

“Eu cheguei por volta das 8h40 e estou aguardando ser atendida. Fui chamada pra triagem por volta de 13h40. Está entrando prioridade e aparentemente só tem um médico fazendo atendimento”, contou.

Com um incômodo na barriga e sem conseguir urinar direito, ela disse que não sai da unidade enquanto não passar pela consulta.

Fonte: g1 RN