Ladrão que roubava carros e ia para igreja após os crimes é preso em Natal, diz polícia

Um homem preso nesta quarta-feira (24), em Natal, ia sempre à igreja no dia seguinte aos roubos de carro que realizava, segundo a Polícia Civil. A prática curiosa deu origem ao nome da Operação Dimas, que cumpriu mandados contra o suspeito e outras três pessoas na capital potiguar.

Segundo a Polícia Civil, o nome da operação “faz alusão ao ‘bom ladrão’ Dimas, que se arrependeu de seus crimes no momento da crucificação”.

A Delegacia Especializada de Defesa da Propriedade de Veículos e Cargas de Natal (Deprov) informou que o objetivo da ação deflagrada nesta quarta-feira (24) era combater roubos de veículos e prender indivíduos envolvidos em diferentes delitos deste tipo na capital.

No entanto, o delegado responsável pela operação, Ricardo Emílio, afirmou que o costume de um dos investigados chamou atenção dos policiais.

O homem mora na Zona Oeste de Natal e é investigado por pelo menos três roubos de veículos, praticados com outros dois comparsas. Em dois dos casos, ele foi reconhecido por vítimas.

Enquanto os investigadores tentavam descobrir quem seriam os outros homens que agiam nos roubos com o suspeito, perceberam que ele sempre ia a uma igreja após cometer os crimes.

Ainda segundo o delegado, o homem mora nas Quintas e frequentava uma igreja evangélica no mesmo bairro. Os crimes praticados por ele, no entanto, ocorreram na Zona Leste da cidade.

As outras pessoas que teriam participação nos crimes com o “preso religioso” ainda não foram presas. A polícia acredita que os carros roubados por ele eram enviados para desmanche, porque nenhum foi recuperado até esta quinta-feira (25). Os crimes investigados ocorreram entre outubro e novembro.

“Quando eles roubam carros para realizar outros assaltos, os veículos logo aparecem novamente. Mas não foi o caso desses”, disse o delegado.

A operação resultou na prisão de outros três suspeitos nesta quarta-feira (24) no bairro Dix-Sept Rosado, em Natal; no bairro de Bela Vista, em Parnamirim; e em Extremoz, na Grande Natal.

Segundo o delegado, no entanto, os presos não faziam parte da mesma quadrilha e eram investigados por diferentes roubos de carros.

Os homens foram encaminhados para o sistema prisional, onde permanecerão à disposição da Justiça.

Fonte: g1 RN