(84) 9 9986-1150

Homem é preso em flagrante por importunação sexual contra adolescente de 13 anos em supermercado, em Macaíba

Um homem de 50 anos de idade foi preso na noite de quarta-feira (27) por importunação sexual contra uma adolescente de 13 anos na praça de alimentação de um supermercado em Macaíba, na Grande Natal. O suspeito acabou solto nesta quinta (28) após audiência de custódia.

A adolescente estava em uma festa de aniversário com amigos no local, quando foi vítima do crime.

Após analisar as imagens das câmeras de segurança do estabelecimento, o delegado do município, que investiga o caso, informou que vai pedir a prisão preventiva do suspeito por estupro de vulnerável, mudando o crime pelo qual ele foi julgado na audiência de custódia.

“O que chamou a atenção foi ele ter tocado na vítima, ter consumado o abuso. Houve uma violência realmente consolidada no momento em que ele passa a mão nas pernas dessa criança na praça de alimentação, em público, com outras pessoas próximas. E tendo insistido nessa conduta”, explicou o delegado de Macaíba, Cidórgeton Pinheiro.

“Esse fato aí transmuta um pouco ao tipo penal que pode ser enquadrado, que sai da importunação sexual, que já é um tipo grave, que foi criado recentemente pra acolher vítimas dessa situação, e vai para o estupro. E considerando ser uma adolescente de 13 anos de idade, vai para estupro de vulnerável”, reforçou.

Os pais da vítima foram à Delegacia de Macaíba na tarde desta quinta para prestar depoimentos sobre o caso. O agressor, que disse estar bêbado na hora ação, teria tocado nas pernas e no cabelo da adolescente e oferecido dinheiro.

A mãe de outra adolescente que estava na praça de alimentação também prestou depoimento e disse que a filha também foi vítima do suspeito e que ela precisou agir para que o homem saísse.

O delegado de Macaíba explicou que a conduta do suspeito após o crime o leva a crer a necessidade do pedido de prisão preventiva. A pena para o crime de estupro de vulnerável é de 6 a 10 anos de prisão.

“Uma situação também bastante grave foi a verbalização dele quando o pai o questionou sobre a vítima ser uma criança e ele disse que não importava, bastava ser mulher. Isso agrava ainda mais toda a situação que está sendo apurada. Nós vamos aprofundar a investigação, vamos colher mais imagens do local, iremos ouvir outras testemunhas e iremos pedir a prisão preventiva dele”, pontuou.

“Nós iremos representar pela prisão preventiva dele por todo desdobramento que foi dado nesse caso. A postura dele, após ter sido flagrado numa situação vexatória pra qualquer pessoa. Ele manteve-se firme na sua condição de agressor, dizendo que não importava aquela condição da vítima”

O delegado acredita ainda que novas vítimas podem surgir diante da exposição do caso.

“Caracteriza-se aí uma atitude de quem está voltado para a prática delitiva. Nós entendemos que há a possibilidade de outras vítimas surgirem quando há a divulgação desses fatos. Espero que elas nos procurem. E, para manutenção da ordem pública, é importante que esse agressor fique fora da sociedade”, falou Cidórgeton Pinheiro.

g1-RN

Postado em 29 de julho de 2022 - 6:50h