(84) 9 9986-1150

Médico do DF é acusado de deformar rostos de pelo menos 30 pacientes

O Tribunal Superior de Ética Médica do Conselho Federal de Medicina (CFM) suspendeu, por 30 dias, o exercício profissional do médico Wesley Noryuki Murakami, acusado de deformar pacientes de Goiás e do DF. A punição vale a partir desta quinta-feira (5/5) e se estende até 3 de junho.

Quem é Wesley
Em setembro de 2019, Wesley virou réu em ação penal na qual foi acusado de ofender a integridade corporal e a saúde de diversos pacientes, ocasionando deformidades permanentes no rosto e corpo das pessoas. A ação atendia o pedido de quatro das 30 vítimas que o acusaram de procedimentos malfeitos.

Em dezembro de 2018, Murakami foi preso em operação da Polícia Civil, deflagrada pela Coordenação de Repressão aos Crimes Contra o Consumidor, a Propriedade Imaterial e a Fraudes (Corf) e batizada de Dismorfia.

Em 17 de janeiro de 2019, a prisão do médico foi revogada. Entretanto o Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal (CRM-DF) impediu Murakami de exercer a profissão. Na ação que o torna réu, foram ouvidos quatro pacientes e oito testemunhas.

Metrópoles

Postado em 6 de maio de 2022 - 11:51h