(84) 9 9986-1150

“Não houve confusão nenhuma” diz professor que encerrou a aula após aluno se recusar a colocar máscara

A notícia que movimentou o Departamento de Comunicação Social da UFRN ontem à noite (7), foi a “confusão” entre o professor Daniel Dantas e o estudante de Jornalismo Marcelo Nascimento, após o aluno se recusar a usar a máscara dentro de sala e o docente ter encerrado a aula por esse motivo.

Em contato com o professor Daniel, que estava ministrando a aula de ‘Comunicação Integrada”, ele falou que não houve discussão e que a decisão de encerrar a aula foi seguindo a portaria da Universidade, onde é obrigatório o uso de máscaras, independente de decretos municipais ou estaduais, pois a instituição é uma autarquia.

“Então, a UFRN mantém ainda a obrigatoriedade de máscaras em todos os seus ambientes. E quando ontem eu comecei a aula, logo depois o aluno em questão, o Marcelo, ele chegou um pouquinho atrasado e eu esperei ele sentar porque achei que ele fosse colocar a máscara, já que era o único aluno sem máscara na sala. Quando eu solicitei que pusesse a máscara, ele respondeu dizendo que não faria, alegando que seria o direito de ficar sem máscara por causa do que diz o decreto estadual.” conta o professor.

Além disso, Daniel fala que os outros estudantes presentes na sala tentaram convencer o colega a colocar o EPI, porém, Marcelo teria recusado de todas as maneiras. O professor pediu que o aluno se retirasse da sala e fosse na coordenação reclamar sobre o fato, mas ele continuou presente no ambiente sem usar a máscara, o que fez o docente terminar a disciplina mais cedo para não acontecer uma maior discussão.

“Para evitar que a situação saísse de controle, que a discussão aumentasse muito, eu achei melhor encerrar a aula e tive o apoio do departamento. Eu não ia chamar o segurança para tirar ele da sala. Então nós encerramos a aula e notifiquei a universidade sobre o que aconteceu e caberá a ela então nas instâncias administrativas tomar as disposições devidas a esse respeito.” disse Daniel Dantas.

Por último, o professor ainda relatou que não houve nenhum embate acalorado com o estudante: “O que foi mais tranquilo em relação a tudo isso foi o fato de que eu e o Marcelo saímos de boa na sala conversando, fomos até a coordenação do curso conversando sem nenhum tipo de confusão. Ninguém alterou o tom de voz ninguém e se exaltou porque estávamos lidando com regra institucional, não era uma questão pessoal com ele.”

O assunto será resolvido no ambiente institucional junto à chefia do departamento e na ouvidoria da Universidade. O protocolo de biossegurança da UFRN possui o tópico ‘Regras de conduta’, no qual as regras presentes nele deverão ser realizadas por todos que tiverem acesso aos campi ou estejam a serviço da UFRN, uma delas é o uso das máscaras nos ambientes internos e externos da Instituição Federal.

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte emitiu uma nota sobre o assunto:

“O Supremo Tribunal Federal reconheceu que as universidades federais têm autonomia para decidir sobre medidas a serem adotadas para as atividades presenciais. O Protocolo de Biossegurança da UFRN, que está na terceira versão, prevê o uso de máscaras e passaporte vacinal. Logo que foi publicado o decreto do Governo do Estado do RN, que faculta o uso de máscaras de proteção facial, o Comitê COVID-19 da UFRN foi consultado. Uma nova atualização do Protocolo dependerá de posicionamento do Comitê.”

Novo Notícias

Postado em 8 de abril de 2022 - 12:19h