Governo reduz previsão de oferta de carne para a mesa do brasileiro

Foto: Wenderson Araújo/Trilux via Agência Brasil

As novas previsões do governo reduzem a estimativa para oferta de carne no mercado brasileiro em 2024. São quase 2 quilos a menos por habitante, em comparação à projeção anterior.

O governo federal realiza as projeções sobre a oferta de carne do agro brasileiro por meio da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O órgão divulgou os dados na quarta-feira 3.

A redução ocorre mesmo com o crescimento da produção. Os principais motivos são os aumentos da população e da exportação, em comparação a 2023.

De um ano para o outro, a quantidade de residentes no país deve aumentar 1 milhão de habitantes, segundo as estimativas oficiais. Ao mesmo tempo, a quantidade exportada ganhará um incremento de 250 mil toneladas.

De acordo com a Conab, o Brasil produzirá por volta de 31 milhões de toneladas de proteína animal ao longo de 2024, somando as três principais fontes: bovinos, suínos e aves. Trata-se do aumento de quase 1 milhão de toneladas sobre o resultado de 2023.

O mercado externo deve consumir 21 milhões de toneladas — os 9 milhões de toneladas restantes terão o mercado externo como destino. Pelos números, do governo a carne de frango é mais produzida pelo agro brasileiro.

As aves respondem por metade da produção de proteína animal do Brasil. A segunda posição é dos bovinos (pouco mais de 9 milhão de toneladas), seguidos dos suínos (5,5 milhões de toneladas).

Revista Oeste

Fonte: Blog do BG