Governo oferece reajuste de até 23% para funcionários do BC

Foto: Reprodução

O MGI (Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos) propôs um reajuste de até 23% nos salários de funcionários públicos do BC (Banco Central) de 2025 a 2026. A intenção é terminar com a greve, que iniciou em 3 de julho de 2023 e manteve o indicativo desde então. Em assembleia na 5ª feira (22.fev.2024), depois de 48 horas de paralisação, os trabalhadores da autoridade monetária combinaram pela retirada do indicativo de greve para 3ª feira (27.fev.2024) e 4ª feira (28.fev.2024).

Segundo o Sinal (Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central), a medida foi um “gesto da categoria em resposta” à proposta do governo.“Houve progresso em relação ao que foi apresentado no começo do mês, dado que alguns pleitos da categoria foram contemplados, entretanto outros pontos muito caros à categoria não foram contemplados. O MGI já indicou estar aberto ao diálogo sobre alguns deles, como o nível superior para os técnicos”, disse.

Apesar da melhora na relação entre o MGI e o sindicato, os funcionários do BC deliberaram, por 95% dos votos, que vão apresentar uma contraproposta. Anteriormente, o Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos ofereceu 13% de reajuste de 2025 a 2026. O percentual foi considerado insuficiente.

O governo aceitou a proposta de mudar o nome da categoria de “analista” para “auditor”. Apesar disso, não passou a exigir ensino superior para o cargo de técnico, contrariando o pedido da categoria. Os reajustes são de 20% a 23%, do nível 1 ao 3. Para técnicos, que é o nível mais baixo, o sindicato negocia um aumento salarial maior. O Sinal disse que mais de 550 pessoas já entregaram cargos. O Poder360 entrou em contato com o MGI e o espaço segue aberto para manifestação

Poder 360

Fonte: Blog do BG