Força-tarefa amplia área de buscas por fugitivos de Mossoró

Sem novas pistas divulgadas sobre o possível paradeiro de Deibson Nascimento e Rogério Mendonça, que fugiram da Penitenciária Federal de Mossoró no dia 14 de fevereiro, a Força Tarefa que atua nas buscas pelos foragidos ampliou o raio de buscas neste domingo (10) e realizou uma operação no assentamento Vila Nova 1, na zona rural de Baraúna, no Oeste potiguar.

O assentamento fica localizado a aproximadamente 9 km do local onde os fugitivos foram vistos pela última vez, no assentamento Vila Nova 2, também em Baraúna, ao saírem de uma plantação de banana. A polícia havia concentrado as buscas na região nos dias seguintes à aparição da dupla.

Nas novas buscas deste domingo, os policias entraram e revistaram algumas casas do Vila Nova I. Os moradores relataram que os investigadores acreditam que alguém está dando abrigo à dupla.

A dona de casa Danielle Viana afirmou que militares vistoriaram a casa da mãe dela por volta das 7h30.

De acordo com moradores, algumas pessoas não permitiram que os policiais entrassem em suas casas para realizar buscas. A polícia continua na comunidade nesta segunda-feira (11), 27º dia de buscas pelos fugitivos.

A operação para recaptura dos fugitivos envolve mais de 600 agentes de segurança, que atuam de forma integrada. São policiais federais, rodoviários federais, militares e civis, além da Força Nacional.

Deibson Nascimento e Rogério Mendonça fugiram da penitenciária de segurança máxima no dia 14 de fevereiro, na primeira fuga da história do sistema prisional federal, criado em 2006.

Simulações divulgadas pela Polícia Federal mostram possíveis aparências e disfarces dos fugitivos da Penitenciária Federal de Mossoró , no Rio Grande do Norte.

Segundo a Polícia Federal, as equipes trabalham com as novas possibilidades visuais. Ainda de acordo com a corporação, as projeções de crescimento de cabelo, barba e uso de disfarces foram elaboradas por papiloscopistas do setor de Representação Facial Humana do Instituto Nacional de Identificação (INI) da PF, em Brasília.

Ainda de acordo com a corporação, a divulgação das imagens visa facilitar o trabalho de buscas e o apoio da população com informações sobre os fugitivos. A corporação já anunciou recompensa de até R$ 30 mil para quem repassar informações que levem à recaptura dos foragidos.

Na última quinta (7), as buscas receberam o reforço de dois policiais penais especializados em operações especiais e um cão farejador da raça pastor-belga-malinois do Mato Grosso.

Já na sexta-feira (8), foi presa em Fortaleza, no Ceará, mais uma pessoa suspeita de integrar uma rede de apoio aos fugitivos montada pela facção Comando Vermelho. Desde o início das investigações, já foram realizadas seis prisões – cinco em cumprimento a mandados de prisão, além de uma prisão em flagrante.

Fonte: g1 RN