Com dificuldade para respirar, idosa de 81 anos aguarda há quase uma semana por leito de UTI no RN

Internada na Unidade Mista de Saúde de Arez (RN) desde domingo (17), uma idosa de 81 anos de idade aguarda a transferência para uma UTI da rede pública de saúde do Rio Grande do Norte há quase uma semana.

O estado de saúde de Damiana Ferreira da Silva é considerado delicado, de acordo com a família. A idosa está com dificuldades para respirar.

Segundo a família, Damiana apresentou um edema pulmonar e tem passado por instabilidades durante a internação, o que fez a equipe médica solicitar a transferência na Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap). Até esta sexta-feira (22), isso não havia ocorrido.

📳Participe do canal do g1 RN no WhatsApp e receba no seu celular as notícias do estado

A família, então, acionou a Justiça. Uma liminar expedida pela juíza Karyne Chagas Brandão determinou que o estado “promova a transferência da autora para leito de UTI de hospital público ou da rede privada conveniado ao SUS, via regulação“. A decisão é de segunda-feira (18).

Em nota, a Sesap informou a Central de Regulação monitora a situação e que a idosa está na fila para entrar na UTI, mas que antes da transferência, de acordo com informações clínicas repassadas para a Central, a idosa precisa fazer uma cirurgia cardíaca no Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL).

O HUOL, que pertence à UFRN, disse que recebeu a solicitação da Central nesta sexta e que repassou para a equipe de cardiologia. “Até o presente momento, nossa UTI segue com sua capacidade máxima ocupada. Estamos cientes da urgência da situação e em constante comunicação com o órgão regulador”, informou.

Damiana Ferreira da Silva é portadora de diabetes e possui doenças cardíacas. De acordo com a família, a equipe médica da Unidade Mista de Saúde de Arez alertou, desde o dia da internação, sobre a necessidade de uma UTI.

Segundo a neta, a avó tem tido várias oscilações no quadro de saúde. Ela apresenta um edema pulmonar e tem passado por picos hipertensivos e hipotensivos, além de taquicardia. A idosa se mostra bastante cansada.

“Estou com medo que ela venha a falecer por instabilidade no quadro”, disse.

Na decisão liminar, a juíza cita que “a demora na disponibilização de leito de UTI para a sua internação lhe submete a sério risco de óbito”.

Fonte: g1 RN