Atacante que “cavalgou” em adversário comenta lance bizarro: “Ficou engraçado, mas não queria ter feito isso com ele”

A “cavalgada” do atacante Léo Bahia, do Baraúnas, em cima das costas do zagueiro Rafael Jansen, do América-RN, rodou o mundo. O lance bizarro aconteceu durante o empate sem gols pela primeira rodada do segundo turno do Campeonato Potiguar. Léo Bahia revelou ao ge que não para de receber mensagens dos amigos que fez no futebol em outros países. Vários perfis de humor também compartilharam as imagens (veja o vídeo abaixo).

Na jogada, Léo Bahia tentou travar a bola com Rafael Jansen, mas acabou subindo nas costas do adversário, fazendo movimento parecido ao de uma “galopada”. Gilvan, do América, reagiu imediatamente tentando agredir Léo, e a confusão se formou em campo. O árbitro Alciney Santos de Araújo expulsou Léo e Rafael.

– O lance foi muito rápido, né? Na dividida de bola, deu pra ver que eu fui chutar, fui dividindo a bola e eu errei. Eu chutei a bola e passou a minha perna. Nessa hora, eu vi que ele veio por cima, aí eu saltei. Quando eu saltei, já caí nas costas dele e dá pra ver ali bem nítido que eu tento sair de cima das costas dele. Eu estou balançando pra tentar sair das costas dele, mas só que ele segurou minha perna com o braço e eu não consigo sair. Parece que eu estou movimentando, galopando em cima dele. Infelizmente, ficou dessa forma – explicou.

O atacante do Baraúnas lamentou ter recebido o cartão vermelho.

– Eu acho que não era pra me expulsar, não, porque eu não fiz nada de errado. Apenas foi um lance de jogo e o que aconteceu ali foi muito rápido – completou.

Na súmula (veja abaixo), o árbitro Alciney Santos de Araújo justificou o cartão vermelho por “saltar sobre um adversário com uso de força excessiva na disputa de bola”.

Léo Bahia tem 32 anos e é um andarilho do mundo da bola. Após se destacar pelo Alecrim, em 2016, rodou por clubes como Bangu, Brasil de Pelotas, Hercílio Luz, Ferroviário, Marília e Avenida, além de atuar no futebol do Uruguai, Guatemala, Malta e Espanha.

Apesar de ter o Bahia no nome, ele é natural de Marcelino Vieira, no Rio Grande do Norte, e chegou ao Baraúnas para a disputa do Campeonato Potiguar deste ano.

Leia mais notícias do esporte potiguar no ge RN | ge.globo/rn

Fonte: g1 RN