Após fim da greve, policiais civis retomam serviços extras com diárias operacionais no RN

Os policiais civis do Rio Grande do Norte decidiram nesta sexta-feira (26) retomar os serviços extras com diárias operacionais em todo o estado. A decisão foi tomada em assembleia do Sindicato de Policiais Civis do RN (Sinpol), um dia após da categoria ter encerrado a greve.

Com isso, os serviços nas delegacias de plantão e regionais do estado voltam a ser normalizados. Os serviços extras haviam sido suspensos desde o dia 15 de abril, antes mesmo do início da greve.

📳Participe do canal do g1 RN no WhatsApp

Segundo o Sinpol, na manhã desta sexta, uma reunião na Secretaria Estadual de Administração (Sead) oficializou a proposta apresentada pelo governo do RN, que, entre outros pontos, concede um reajuste médio de 7% para a categoria. O acordo havia sido acertado na quinta (25).

O acordo definitivo foi aprovado pelos policiais civis, segundo o Sinpol, após assembleia, e culminou com a volta dos serviços extras com diárias operacionais.

Além do reajuste, a categoria também teve aprovada na Assembleia Legislativa um projeto de lei para a criação do auxílio-fardamento.

Os policiais encerraram, na quinta-feira (25), a greve que havia sido iniciada na terça-feira (23). Com isso, as delegacias do estado voltaram a funcionar no expediente normal nesta sexta.

O Sinpol, no entanto, tinha previsto que os serviços com diárias operacionais seguiriam até que acordo com o Executivo fosse “concretizado e assinado”, o que aconteceu nesta sexta.

Desde o início da negociação, os policiais civis buscavam uma proposta de reajuste salarial de 10%. O acordo fechado com o governo foi, em média, de 9% de reajuste para os policiais antigos e de 6% para os que entraram nas novas turmas.

O acordo foi fechado após uma reunião com o secretário de Segurança e Defesa Social do RN, Coronel Francisco Araújo, e com outros representantes do governo. À tarde, a categoria aceitou a proposta em assembleia.

LEIA TAMBÉM

O retorno também foi condicionado à uma promessa da implantação do auxílio-alimentação.

“Todas as categorias de segurança recebem auxílio-alimentação. A única que não recebe é a Polícia Civil. E a gente vai querer um tratamento igual pra poder aceitar essa tabela que nos foi acertada hoje”, disse Nilton. .

Durante os dias de greve, as delegacias do Rio Grande do Norte ficaram fechadas, tendo sido abertas apenas algumas delegacias de plantão.

A Justiça do Rio Grande do Norte havia determinado na quarta (24) o retorno imediato dos policiais civis, após pedido do Ministério Público. O direito de greve por parte da Polícia Civil ou de profissionais de qualquer carreira policial é inconstitucional, segundo decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de 2017.

Fonte: g1 RN