Amorim, do Itamaraty paralelo, diz que “non grata é Israel”

Foto: Fábio Rodrigues-Pozzebom

Celso Amorim, assessor especial para assuntos internacionais da Presidência da República, rebateu nesta segunda-feira, 19, a decisão de Israel de declarar Lula persona non grata no país até que o presidente brasileiro retire o que disse, referindo-se à comparação entre a ofensiva militar de Israel em Gaza e o Holocausto.

Ao blog da jornalista Andréia Sadi, no G1, o ex-chanceler afirmou que “non grata é Israel”.

“Isso é coisa absurda. Só aumenta o isolamento de Israel. Lula é procurado no mundo inteiro e no momento quem é [persona] non grata é Israel”, disse.

O Itamaraty, responsável formal pela política externa brasileira, ainda não se manifestou sobre o assunto. O Ministério das Relações Exteriores, comandado por Mauro Vieira, pretende aguardar a reunião do embaixador brasileiro em Tel Aviv, Frederico Meyer, com Israel para se manifestar sobre as declarações de Lula.

Lula não é bem-vindo em Israel
Em visita ao memorial do Holocausto, onde se reuniu com o embaixador do Brasil em Israel, Frederico Meyer, o ministro israelense das Relações Exteriores, Israel Katz, disse nesta segunda, 19, que o presidente Lula não é bem-vindo em Israel.

“Não esqueceremos nem perdoaremos. É um ataque antissemita grave. Em meu nome e em nome dos cidadãos de Israel – digam ao presidente Lula que ele é persona non grata em Israel até que o retire”, afirmou.

Leia mais

O Antagonista

Fonte: Blog do BG