Açude Dourado volta a transbordar após quatro anos no Seridó potiguar; veja vídeo

O açude Dourado sangrou na noite desta quinta-feira (14), no Seridó potiguar. O transbordamento do reservatório foi acompanhado por moradores de Currais Novos, que comemoraram o resultado de boas chuvas no sertão.

O reservatório tem capacidade de armazenar até 10,32 milhões de metros cúbicos de água, segundo o Instituto de Gestão das Águas do Rio Grande do Norte (Igarn). O último transbordamento do açude tinha ocorrido há quatro anos, em março de 2020.

“Nosso ‘Dourado’ atingiu sua cota máxima na noite desta quinta-feira (14) e transbordou. Alegria, esperança e gratidão pelas bençãos das chuvas! Um dia para celebrar e agradecer”, publicou a prefeitura de Currais Novos nas redes sociais.

O cenário de 2024 é completamente diferente de 2023, quando o açude secou no dia 1º de março, segundo a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern), responsável pelo abastecimento de água da região.

Na ocasião, a empresa estatal passou a usar as águas de outro açude, o Gargalheiras, para abastecer Currais Novos. O açude Dourado voltou a ser usado para abastecimento da cidade em maio, quando atingiu 19,86% de sua capacidade – quantidade suficiente para oito meses, segundo a empresa.

A barragem Campo Grande, localizada em São Paulo do Potengi, com capacidade para 23.139.587 m³; e o Açude Público do do Município de Encanto, com capacidade para 5.192.538 m³, completaram 100% da sua capacidade e sangraram, também durante esta quinta-feira (14).

O açude Passagem, localizado em Rodolfo Fernandes, com capacidade para 8.273.877 m³, começou a sangrar na última quarta-feira (13).

Outros reservatórios monitorados pelo Igarn, que já sangraram em 2024 , foram: o açude Santa Cruz do Trairi, localizado em Santa Cruz, que possui capacidade para 5.158.750 m³, e sangrou na última segunda-feira (11); o açude Beldroega, localizado em Paraú, com capacidade para 8.057.520 m³, que teve sua sangria registrada na sexta-feira (8); o açude Pataxó, e localizado em Ipanguaçu com capacidade para 15.017.379 m³, no dia 28 de fevereiro.

A barragem Marechal Dutra, conhecida como Gargalheiras, continua recebendo recarga e acumula 10.972.255 m³, percentualmente, 24,7% da sua capacidade total, que é de 44.421.480 m³. No comparativo, o manancial estava com 626.813 m³, no dia 15 de fevereiro, o que equivalia a 1,42% da sua capacidade total.

A barragem Armando Ribeiro Gonçalves, maior reservatório do RN, acumula 1.373.130.000 m³, correspondentes a 57,21% da sua capacidade total, que é de 2,373 bilhões de m³. No relatório divulgado no dia 15 de fevereiro, o manancial estava com 1.230,56 bilhão de m³, equivalentes a 51,86% da sua capacidade total.

A barragem Santa Cruz do Apodi também segue recebendo água e acumula 363.081.800 m³, equivalentes a 60,54% da sua capacidade total, que é de 599.712.000 m³. Em meados de fevereiro, o reservatório acumulava 344.622.360 m³, equivalentes a 57,46% da sua capacidade total.

A barragem Umari, localizada em Upanema, acumula 226.131.373 m³, percentualmente, 77,22% da sua capacidade total, que é de 292.813.650 m³. No relatório do dia 15 de fevereiro, o reservatório estava com 219.149.906 m³, ou 74,84% da sua capacidade total.

Outros mananciais monitorados pelo Igarn que estão com mais de 70% da sua capacidade são: Mendubim, localizado em Assu, que está com 79,15%; a barragem de Pau dos Ferros, com 71,13%; o açude Flechas, em José da Penha, com 73,19%; e Malhada Vermelha, em Severiano Melo, com 85,56%.

Fonte: g1 RN