(84) 9 9986-1150

Bolsonarista invade aniversário e mata petista durante festa com tema do PT

O guarda municipal Marcelo Arruda, candidato a vice-prefeito nas últimas eleições e militante do PT, foi assassinado pelo agente penitenciário federal Jorge José da Rocha Guaranho, que invadiu a comemoração do aniversário de 50 anos de Marcelo, ocorrida na noite deste sábado (09), em Foz do Iguaçu (PR). A festa tinha como tema o PT e fazia várias referências ao ex-presidente e pré-candidato Luiz Inácio Lula da Silva.

Aos gritos de “Bolsonaro” e “mito”, segundo relatam testemunhas, o homem ameaçou os presentes e saiu. Arruda foi até o carro para pegar a arma, temendo que Guaranho voltasse. Os dois se reencontraram e o agente penitenciário atirou no aniversariante, que, mesmo ferido, revidou. Ambos morreram.

Marcelo Arruda era diretor do Sindicato dos Servidores Municipais de Foz (Sismufi), tesoureiro do PT municipal e foi candidato a vice-prefeito. Era casado e tinha quatro filhos – entre eles uma menina de seis anos e um bebê de apenas um mês.

No estacionamento da Associação Esportiva Saúde Física Itaipu, onde acontecia a festa, o bolsonarista Guaranho deu dois tiros em Arruda, segundo testemunhas, que conseguiu revidar e atingir o agressor com um tiro na cabeça. O agente penitenciário teve morte cerebral confirmada pelos médicos, enquanto o guarda municipal chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos. “Se Marcelo não tivesse reagido o homem teria feito uma chacina dentro da festa”, disse uma das pessoas que participava da comemoração.

Em seu perfil no Twitter, o ex-presidente Lula comentou o corrido. “Nosso companheiro Marcelo Arruda comemorava o seu aniversário de 50 anos com a família e amigos, em paz, em Foz do Iguaçu. Filiado ao Partido dos Trabalhadores, sua festa tinha como tema o PT e a esperança no futuro; com a alegria de um pai que acabou de ter mais uma filha”, escreveu Lula. “Uma pessoa, por intolerância, ameaçou e depois atirou nele, que se defendeu e evitou uma tragédia maior. Duas famílias perderam seus pais. Filhos ficaram órfãos, inclusive os do agressor. Meus sentimentos e solidariedade aos familiares, amigos e companheiros de Marcelo Arruda”.

A presidente nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann, também lamentou, em nota. “Desde o começo do ano, quando lançou uma Campanha Nacional contra a Violência Política, o PT vem alertando a sociedade brasileira e as autoridades dos vários Poderes da República para a escalada de perseguição a parlamentares, filiados e filiadas, militantes de movimentos sociais e de outros partidos de esquerda e o crescimento da violência política no país”, comentou.

Uol

Postado em 11 de julho de 2022 - 5:27h