(84) 9 9986-1150

Morador de Currais Novos, trabalhador da Chesf morto em queda de helicóptero já havia perdido 2 irmãos de forma trágica

queda de um helicóptero que terminou com a morte de três pessoas na zona rural de Currais Novos, no interior do Rio Grande do Norte, neste domingo (5) tinha na tripulação um morador do próprio município. Francisco Wilson da Silva, de 52 anos, era inspetor de linha da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) desde 2010 e estava em operação no momento do acidente aéreo. Wilson é o terceiro de treze irmãos a perder a vida em circunstâncias trágicas.

Além de Wilson, dois outros irmãos tiveram a vida interrompida de maneira precoce. Em 1984, aos 19 anos, Paulo Ubaldo da Silva foi vítima de um acidente automobilístico entre Acari e Currais Novos; e em 1998, aos 37 anos, Francisco Ubaldo Sobrinho foi assassinado durante um assalto ao mercadinho da família, também em Currais Novos.

“Estamos todos abalados com mais essa perda”, disse Maria Zanúbia Silva, irmã de Wilson, Paulo e Francisco.

O acidente que matou Wilson da Silva aconteceu após o helicóptero se chocar com uma linha de transmissão de energia. Os três ocupantes da aeronave morreram.

Paixão pelo trabalho

Maria Zanúbia reforçou a paixão que o irmão tinha pelo trabalho. De acordo com Zanúbia, as redes sociais do irmão tinham vários registros durante as inspeções, muitas delas feitas em voos. “Era um sonhador. Ele amava o que fazia”, disse.

Pouco antes do acidente, Wilson compartilhou com a família uma foto na aeronave. Em uma rede social, postou vídeo de pouco mais de 10 segundos do voo. “Ele falou pra minha mãe que iria sobrevoar Currais Novos, lamentou não ver o reservatório no sítio da nossa família transbordando, mas disse que ia ver tudo das alturas”, afirmou, a irmã. Wilson deixa três filhos.

Além do curraisnovense, a tripulação ainda contava com o natalense Robson Deusdette de Melo Araújo, de 35 anos, que também era inspetor de linha da Companhia; e Juberson Coelho Coimbra, de 65 anos, que era o piloto da aeronave.

Os corpos foram resgatados ainda neste domingo (5), e encaminhados para o Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep) de Caicó, também no Seridó potiguar. No entanto, a queda no fornecimento de energia elétrica, retomada apenas durante a madrugada, fez com que o procedimento só fosse realizado na manhã desta segunda (6). Ainda não há confirmação do dia e hora do sepultamento das vítimas.

G1

Postado em 6 de junho de 2022 - 12:17h