(84) 9 9986-1150

Polícia Civil conclui inquérito e autua motorista suspeito de atropelar ciclista por lesão corporal culposa

A Polícia Civil concluiu o inquérito do caso do atropelamento do ciclista Bryan Araújo, ocorrido no mês de fevereiro deste ano, em Campina Grande. Segundo a polícia, o motorista suspeito de atropelar o jovem foi autuado por lesão corporal culposa, quando não se tem a intenção de matar, mas se assume o risco.

No início do mês de março, o condutor do carro chegou a se apresentar à polícia, mas se reservou ao direito de ficar calado durante o depoimento. A companheira dele, proprietária do veículo em que ele estava no momento do atropelamento, também foi ouvida durante a investigação.https://79a501d6ac2a84535a4aff2f13ae09a5.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

O inquérito foi encaminhado ao Ministério Público e o motorista segue respondendo pelo processo em liberdade. Ainda de acordo com a Polícia Civil, ele já responde por tráfico de drogas.

Bryan Araújo permanece internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande, em estado grave. Ele segue entubado, e passou por traqueostomia.

“Não tem como avaliar o nível de consciência dele no momento porque ele está sob efeito de medicação. Ou seja, ele está em coma induzido. Só temos como avaliar quando desligar a sedação e, se ele evoluir sem desconforto, temos como dizer se ele vai ficar com sequelas ou não”, explicou o médico Antônio Bidô, que acompanha o caso.

Relembre o caso

Bryan Araújo, de 19 anos, voltava do trabalho quando foi atropelado. O motorista do carro entrou na contramão para burlar a fila de carros que estava formada, ultrapassou o sinal vermelho e atingiu a vítima, na Avenida Assis Chateaubriand, no bairro Jardim Paulistano, em Campina Grande.

G1PB

Postado em 30 de março de 2022 - 7:17h