(84) 9 9986-1150

Cachorro é assado em churrasqueira para ameaçar idoso que não ajudava nas contas

Dois homens, identificados como Vitor Valentin de Faria, de 19 anos, e Diogo Luis da Silva, de 23 anos, foram presos por maus-tratos aos animais, lesão corporal, ameaça e violação de domicílio, após queimarem um cachorro para amedrontar um idoso. A crueldade com o cão foi filmada e postada em uma rede social. A situação foi registrada em Quatro Barras, na Região Metropolitana de Curitiba, na noite deste domingo (20).

No vídeo publicado nas redes sociais, que é extremamente sensível e não será divulgado nesta matéria, os homens seguram o cachorro, o jogam no chão com força e dizem “se o crime não aceitar, é ‘nóis’”. Nas imagens seguintes, o cachorro é assado em uma churrasqueira. Em seguida, é possível ouvir uma briga e um idoso é agredido pelos suspeitos. A vítima ainda pede que eles parem com as agressões. O cachorro foi queimado vivo e não resistiu.

Conforme as investigações, os jovens estavam bebendo na casa enquanto duas mulheres e crianças dormiam. Diogo, que estava ficando alguns dias na casa de uma amiga da esposa, junto com a mulher, teria descoberto que o idoso, que mora na residência de trás do terreno, não estava ajudando a pagar as contas de água e de luz. Para ameaçar e amedrontar o homem, os suspeitos invadiram a casa do vizinho, teriam matado o cachorro e agredido a vítima. O cão era da dona da casa, amiga da esposa de Diogo, e estava com a família há três anos.

Os suspeitos foram detidos e encaminhados para a delegacia da cidade.

O delegado responsável pelo caso, Michael Carvalho, afirmou que os homens estavam sob efeito de entorpecentes. “Possivelmente uso de drogas, muito álcool que foi confirmado pelas partes, inclusive durante o interrogatório, que foi na madrugada de domingo, por volta das 4h da manhã, eles ainda estavam embriagados”, disse.

“Nessa situação do cachorro a pena chega a cinco anos, o que inviabilizou a fiança. Somando todas essas penas, esses crimes que são graves, são tristes, são chocantes, eles ficam presos sem fiança”, explicou o delegado.

Na delegacia, Victor tentou negar o crime e disse que jamais faria algo semelhante, que foi desmentido com as imagens que ele mesmo publicou nas redes sociais. Já Diogo preferiu ficar em silêncio e não comentou a situação.

AGORA RN

Postado em 22 de fevereiro de 2022 - 19:45h